Submit to FacebookSubmit to Google PlusSubmit to TwitterSubmit to LinkedIn

Doutora em Comunicação e Cultura pelo PPGCOM da Escola de Comunicação da UFRJ (2010) e Mestre em Multimeios pela UNICAMP - Universidade Estadual de Campinas (1996). Cursou pós-doutorado em Antropologia Digital na University College London - UCL - UK.  É professora adjunto IV da Escola de Comunicação da Universidade Federal do Rio de Janeiro, onde leciona desde 1998 e do programa de pós-graduação PPG EICOS- IP. É pesquisadora do PACC (Programa Avançado de Cultura Contemporânea) e líder do CIEC ( Coordenação Interdisciplinar de Estudos Contemporâneos).Trabalha na linha de pesquisa mídia e mediações socioculturais, com ênfase nos temas: comunicação e política, juventude, política e consumo, antropologia digital e estudos de consumo e tendências de expressão publicitária. 

 

 

 

Professora Adjunta IV

Departamento: Métodos e Áreas Conexas – DMAC

Contato: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. / Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. 

Site:

 

 

ENSINO

Disciplinas na Graduação

  • Estudos de consumo
  • Etnografias e culturas digitais
  • Planejamento Publicitário 

 

Disciplinas na Pós-Graduação

  • Etnografias e culturas digitais
  • Consumo, antropologia digital e representações sociais

 

PESQUISA

  • Narrativas digitais e culturais juvenis (2016 – Atual)

O debate sobre as culturas digitais, juventudes e sistemas de cognição têm se mostrado como um fértil campo de pesquisa na contemporaneidade, inspirando uma produção transdisciplinar nas áreas de comunicação, na educação, na psicologia e na antropologia. Os estudos gravitam em torno dos temas sobre infância, juventude, internet, oportunidades e riscos; culturas juvenis e media literacy; investigações sobre mídia digital, juventude e cidadania ou engajamento digital e estudos de recepção (Livingstone, 2010; 2011; 2015). Ou retomam preocupações clássicas da antropologia como as relações de parentesco ou as regras de sociabilidade para compreendê-las em novas dinâmicas no mundo digital (Miller, 2012; 2013;2015). O foco dessa pesquisa que se inicia é investigar no Brasil e, em uma perspectiva comparativa com a Inglaterra em especial, mas também outros países, como se organizam as interações sociais dos adolescentes - 12 a 16 anos - com o ambiente digital - acesso à internet, usos, aprendizados, riscos e oportunidades, motivações - na escola, na família e nas relações sociais. O projeto prevê observação participante e entrevistas semi-estruturadas com os adolescentes, seus pais e professores. Partimos da hipótese de que aprofundando os estudos sobre os usos sociais dos meios digitais entre crianças e jovens, contribuiríamos para ampliar as relações entre ensino, mídia, ambientes digitais e conselhos consultivos e deliberativos (familiares, educacionais e políticos). A proposta está fundamentada na linha teórica da antropologia digital, em especial, nos debates sobre tecnologia e humanidades, conservação social e inovação, valores, representações sociais e mediações. O desafio está em estudar o impacto das novas tecnologias e as mudanças nos modos de consciência e outros modos de vida, sem ver esse processo como um aumento ou declínio da nossa humanidade.

Integrantes: Mônica Machado Cardoso - Coordenador.

 

  • Polymedia e culturas juvenis no espaço da favela: experimentando a comunicação digjtal no Museu de Favela do Cantagalo, Pavão, Pavãozinho, Rio de Janeiro, Brasil (2012 – Atual) 

O presente projeto de pesquisa para o pós-doutoramento o departamento de antropologia digital da University College London (UCL), converge com a linha de pesquisa da antropologia do consumo, assim como mantém forte conexão com a linha de investigação adotada no Laboratório Universitário de Publicidade Aplicada (LUPA). E ainda associação ao projeto de extensão da UFRJ, Rio Geração Consciente, onde fui docente em 2012, nas favelas da Maré, Cantagalo e Manguinhos. O projeto reflete sobre as formas de relacionamento de jovens residentes na favela com a comunicação digital no Museu de Favela do Cantagalo, Pavão, Pavaozinho. O MUF é uma associação de interesse comunitário, sem fins lucrativos, fundada em novembro de 2008 por moradores das favelas de Cantagalo, Pavão e Pavãozinho, entre Ipanema e Copacabana. O projeto nasceu como um plano museológico experimentalista, sem modelos nos quais se inspirar. O conceito: um museu a céu aberto com ênfase na libertação e afirmação cultural comunitária. Assim, é objeto de reflexão do projeto de pós-doutorado: Investigar o conceito de cultura material como representação antropológica, portanto, como mediador de significação pública em representações rituais para ampliar o debate sobre os modos de consumo de meios digitais no espaço da favela; Explorar o conceito teórico de “polymedia” - como uma proposição teórica para o campo da comunicação - produzido por Daniel Miller e Mirca Mandinou. Polymedia é uma categoria teórica que compreende o processo de mediatização como um processo de escolha e que investiga os usos sociais da tecnologia. Cabe, portanto, pesquisar como tais escolhas de mídias digitais se exercitam no espaço de relacionamento de jovens com o Museu de Favela do Cantagalo, Pavão, Pavãozinho, tanto para reafirmação cultural como forma de resistência.

Integrantes: Mônica Machado Cardoso - Coordenador.

 

Áreas de interesse: Comunicação e Política; Juventude, Política e Consumo; Antropologia Digital e Estudos de Consumo; Tendências de Expressão Publicitária. 

 

EXTENSÃO

Projeto de extensão que visa formar jovens publicitários com sensibilização para causas sociais. O projeto atende ONGs, cooperativas populares, instituições sociais com o objetivo de produzir e transferir conhecimentos publicitários que possam contribuir no fortalecimento da imagem institucional dos parceiros.

Alunos envolvidos: Graduação: seis.

Integrantes: Mônica Machado Cardoso - Integrante / Marta Pinheiro - Coordenador.

 

LIVROS PUBLICADOS

 

MACHADO, Monica. Antropologia digital e experiências virtuais do Museu de Favela. Curitiba: ed. Appris, 2017. 

MACHADO, Monica. Consumo e politização: discursos publicitários e novos engajamentos juvenis. Rio de Janeiro: ed. Mauad, 2011.

 

ATIVIDADES ADMINISTRATIVAS

  

  • Representante da Comissão de Revalidação de Diploma de Graduação ECO-UFRJ
  • Representante do COAA de Publicidade e Propaganda
  • Membro da comissão de Processo seletivo Mestrado e Doutorado EICOS-IP.

 

 

OUTRAS ATIVIDADES ACADÊMICAS

Membro do conselho editorial:

 

SUGESTÃO DE LINKS

 

 


 

Topo