UFRJ - Universidade Federal do Rio de Janeiro

Disciplinas

ARTE E CENA

Ementa:
Estudo das artes como reflexão sócio-histórica sobre os modos de conhecimento e de produção da cena. A transversalidade de linguagens e a hibridização dos gêneros inerentes à criação e à reflexão contemporânea. A idéia de cena ampliada e os diversos campos de saber – as artes plásticas, o audiovisual, a fotografia, a performance, a dança.

Bibliografia:
AGAMBEN, Giorgio. O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.
AUMONT, Jacques. (Org). La mise en scène. Bruxelles: De Boeck&Larcier, 2000.
______. O olho interminável. Cinema e Pintura. São Paulo: Cosac Naify, 2004.
DELEUZE, Gilles e GUATARRI, Félix. Mil platôs: capitalismo e esquizofrenia. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1995.
_____. Conversações. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.
DIDI_HUBERMAN, Georges. O que vemos o que nos olha. Rio de Janeiro: Editora 34, 2010.
FÉRAL, Josette. Théorie et Pratique du théâtre. Au-delà des limites. Montpellier: Entretemps, 2011.
RANCIÈRE, Jacques. A partilha do sensível: estética e politica. São Paulo: Martins Fontes, 2012.
_____. Aisthesis. Paris: Galilée, 2011.
ZIZEK, Slavoj. La subjectivité à venir. Essais critiques. Paris: Flammarion, 2006.

PROCESSOS DE CRIAÇÃO DA CENA

Ementa:
Diferentes formas de atuação, processos de criação e modos de recepção da obra. A formação do artista-pesquisador e a interface entre as linguagens: as artes plásticas, o audiovisual, a performance, a fotografia, a literatura e o teatro. As novas tecnologias da cena e a intermidialidade como potência para criação da poética da cena.

Bibliografia:
AUMONT, Jacques. O cinema e a encenação. Paris: Armand Colin, 2006.
BERGSON, Henri. Evolução criadora. Rio de Janeiro: Editora Martins Fontes, 2011.
DUBOIS, Philippe. Cinema, video, Godard. São Paulo: Cosac Naify, 2004.
FLUSSER, Vilém. A filosofia da caixa preta. Ensaios para uma futura filosofia da caixa preta. São Paulo: Annablume, 2011.
LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
PAVIS, Patrice. A análise dos espetáculos: teatro, mímica, dança, dança-teatro, cinema. São Paulo: Perspectiva, 2010.
_____.A encenação contemporânea. Origens, tendências, perspectivas. São Paulo: Perspectiva, 2012.
PICON-VALLIN, Béatrice (org). Les écrans sur la scène. Lausanne: l’Âge d’Homme, 1998.
____. A Cena em Ensaios. São Paulo: Perspectiva, 2008.
PLUTTA, Izabela. L’acteur et l’intermedialité. Les nouveaux enjeux pour l’interprète et la scène à l’ère technologique. Lausanne: L’Âge d’homme, 2011.
RANCIÈRE, Jacques. O espectador emancipado. São Paulo: Martins Fontes, 2012.

ARTE E POLÍTICA DA CENA

Ementa:
A constituição do artista a partir de uma perspectiva sócio-histórica e política. A autoria na contemporaneidade: o descentramento do autor, processos colaborativos e espaços políticos de atuação. Múltiplos agenciamentos da obra de arte e seus modos de legitimação. Relações com a cidade e políticas culturais. A obra como fato político. A produção crítica sobre a obra e as dimensões políticas.

Bibliografia:
DELEUZE, Gilles. Conversações. 1972-1990. Rio de Janeiro: Ed. 34, 1992.
DERRIDA, Jacques. A escritura da diferença. São Paulo: Perspectiva, 2009.
FOUCAULT, Michel. O que é um autor? Lisboa: Passagens, Vega, 2002.
______. A microfísica do poder. Rio de Janeiro: Graal, 2000.
GUATTARI, Félix. Caosmose. Um novo paradigma estético. São Paulo: Ed. 34, 2012. NANCY, Jean-Luc. El sentido del mundo. Buenos Aires: La marca Editora, 2003.
NOVAES, Adauto (Org). Artepensamento. São Paulo: Companhia das Letras, 1994.
PAVIS, Patrice. O teatro no cruzamento de culturas. São Paulo: Perspectiva, 2008.
_____. Dicionário de teatro. São Paulo: Perspectiva, 1999.
ROLNIK, Suely. Pensamento, corpo, devir: uma perspectiva ético/estético/política no trabalho acadêmico. Cadernos de Subjetividade, v. 1, n.2, 1996.
VALCÁRCEL, Amélia. Ética contra estética. São Paulo: Perspectiva/SESC, 2005.
ZIZEK, Slavoj. Vivendo no fim dos tempos. São Paulo: Boitempo, 2012.

SEMINÁRIOS DE PESQUISA

Ementa:
O campo teórico da arte e as principais tendências na pesquisa contemporânea. A articulação entre pressupostos teóricos, delimitação de objetos, formulação de hipóteses. Métodos e técnicas de pesquisa nas ciências humanas e nas artes, com ênfase nas artes cênicas. O curso desenvolve-se de acordo com as temáticas dominantes nos projetos de pesquisa dos alunos inscritos.

Bibliografia:
AMADO, Janaína; FERREIRA, Marieta de Moraes. Usos e Abusos da História Oral. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 2005.
BACHELARD, G. A Epistemologia. São Paulo: Ed. 70, 2006.
BOURDIEU, P. Coisas Ditas. São Paulo: Brasiliense, 1990.
DELEUZE, Gilles. Crítica e Clínica. São Paulo: Ed. 34, 1997.
FOUCAULT. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forenze Universitária, 1987.
GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Companhia das Letras, 2000.
KUHN, T. A Estrutura das Revoluções Científicas. São Paulo: Editora Perspectiva, 1975.
MATURANA, Humberto. Cognição, Ciência e Vida Cotidiana. Belo Horizonte: Ed. UFMG, 2001.
MORIN, Edgar. A formação do espírito científico. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996.

CENA E CULTURA

Ementa:
Práticas artísticas e linguagens culturais na contemporaneidade. A arte contemporânea e sua inserção na sociedade midiática. Metodologias e práticas: suas correlações com culturas locais. Abordagens da arte através da noção de hibridismo e a problematização de conceitos como “cultura erudita”, “cultura de massa”, “cultura popular”, “cultura digital”. As noções de identidade, nacionalismo, território e globalização. Os processos de legitimação e os discursos sobre patrimônio cultural.

Bibliografia:
BENJAMIN, Walter. Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994.
CANCLINI, Nestor Garcia. Culturas híbridas. São Paulo: Edusp, 1997.
EAGLETON, T. A idéia de cultura. São Paulo: Editora Unesp, 2005.
FELDMAN-BIANCO, Bela (org). Antropologia das Sociedades Contemporâneas. São Paulo: Global, 1987.
GEERTZ, Clifford. A Interpretação das Culturas. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1978. LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.
MARTÍN-BARBERO, Jesus. Dos meios às mediações. Comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 1997.
SANTAELLA, Lúcia. Cultura das mídias. São Paulo: Experimento, 1992.
SANTAELLA, Lúcia (org). Cultura e artes do pós-humano: da cultura das mídias à cibercultura. São Paulo: Paulus, 2003.
TAMBIAH, Stanley Jeyraja. Culture, Thought and Social Action: An Anthropological Perspective. Cambridge, Massachusetts and London: Harvard University Press, 1985.
TEIXEIRA COELHO, José. A cultura e seu contrário. São Paulo: Iluminuras, 2008.

CENA E ESTÉTICA

Ementa:
Estéticas da cena, e os diferentes regimes estéticos na construção do pensamento artístico. A performatividade, a teatralidade, a visualidade, a escrita, o corpo, a malha sonora e as mediações técnicas: agenciamentos que redimensionam as poéticas da cena. A crise da estetização da arte, novos paradigmas da experiência estética na criação e na reflexão da cena contemporânea.

Bibliografia:
BOURRIAUD, Nicolas. Estética Relacional. São Paulo: Martins Fontes, 2009.
CARREIRA, A.; BIÃO, A; NETO, W. Da Cena Contemporânea. Porto Alegre: ABRACE, 2012.
FERNANDES, Silvia. Teatralidades contemporâneas. São Paulo: Perspectiva, 2012.
FREIRE, Cristina. Poéticas do Processo; arte conceitual no museu. São Paulo: Iluminuras, 1999.
GUMBRECHT, Hans-Ulrich. Production of presence. What meaning cannot convey. Stanford University Press, 2004.
LOPES, Denílson. A delicadeza: estética, experiência e paisagens. Brasília: UNB, 2007.
MACHADO, Arlindo. Máquina e imaginário. O desafio das poéticas tecnológicas. São Paulo: EDUSP, 1993.
NANCY, Jean-Luc. The creation of the world or globalization. Albany: SUNY Press, 2000.
SANTAELLA, L; ARANTES, P. Estéticas tecnológicas: novos modos de sentir. São Paulo: EDUC, 2007

CENA E PERFORMANCE

Ementa:
Os conceitos de performance e performatividade e a abordagem dos Estudos da Performance, em uma perspectiva transdisciplinar. A relação das artes cênicas com a antropologia, a sociologia, a lingüística, a história, entre outros saberes. Modos de abordagem e procedimentos nos diversos campos de conhecimento e suas interseções. Análise de obras e os aspectos tradicionais e contemporâneos das manifestações performáticas. Exame específico da arte da performance e reflexão sobre a “virada performativa” em todos os campos artísticos desde meados dos anos 1950.

Bibliografia:
ALICE, Tânia. Performance. Ensaio. De[montando os clássicos. Rio de janeiro: Confraria do Vento, 2010.
BISHOP, Clare. Participation (London: Whitechapel and The MIT Press, 2006)
BERSTEIN, Ana. “Marina Abramovic: do corpo do artista ao corpo do público”. In: Vozes Femininas (org.)
Azevedo, C; Sussekind, F; Dias, T. Rio de Janeiro: Editora 7 Letras, 2001.
CARLSON, Marvin. Performance: uma introdução crítica. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2010.
COHEN, Renato. A performance como linguagem. São Paulo: Perspectiva, 2002.
_____. Work in progress na cena contemporânea. São Paulo: Perspectiva, 1994.
DIXON, Steve. Digital Performance: a history of new media in theater, dance, performance art and installation. MIT Press, 2007.
FÉRAL, Josette. Théorie et Pratique du théâtre. Au-delà des limites. Montpellier: Entretemps, 2011.
GOLDBERG, RoseLee. Performances, l’art en action. Londres, Thames & Hudson, 1999.
HEATHFIELD, Adrian. LIVE: Art and Performance.New York: Routledge, 2004.
LIGIÉRO, Zeca (org). Performance e Antropologia de Richard Schechner. Mauad: Rio de Janeiro, 2012.
PHELAN, Peggy. Unmarked: the politics of performance. London: New Roudledge, 1993.
ROSE-LEE Goldberg. A arte da performance – do futurismo ao presente. São Paulo: Martins. Fontes Editora, 2006.
SCHECHNER, Richard & APPEL, Willa (ed.). By Means of Performance: Intercultural studies of theatre and ritual. Cambridge: Cambridge University Press, 1990.
SCHECHNER, Richard. Performance Theory. New York and London: Routledge, 1988.
TURNER, Victor. From Ritual to Theatre: The Human Seriousness of Play. New York: PAJ Publications, 1992.
_____. The Anthropology of Performance. New York: PAJ Publications, 1988.
ZUMTHOR, Paul. Performance, recepção, leitura. 2. ed. São Paulo: Cosac Naify, 2007.

CENA E TECNOLOGIA

Ementa:
Relações entre a cena contemporânea e as novas tecnologias. O uso de dispositivos e suportes na criação de imagens. Agenciamentos coletivos de enunciação e criação a partir da percepção do corpo do ator/performer em sua interação com o audiovisual.

Bibliografia:
ALBERA, François; TORTAJADA, Maria. Cine-dispositifs. Spectacles, Cinéma, telévision, littérature. Lausanne: L’âge d’Homme, 2011.
BAUDRY, Jean Louis. L’Effet Cinéma. Paris: Albatros, 1978.
BELLOUR, Raymond. Entre-Imagens: Foto, Cinema, Video. Campo imagético. Campinas,SP: Papirus, 1997.
BORDWELL, David. Figuras traçadas na luz: A encenação no cinema. Campinas, SP: Papirus, 2008.
DA COSTA, Cláudio (Org). Dispositivos de registro na arte contemporânea. Rio de Janeiro: Contra Capa Livraria/FAPERJ, 2009.
DELEUZE, Gilles. “O que é um dispositivo”In: O mistério de Ariana. Lisboa: Passagens, 1996.
FURTADO, Beatriz (Org). Imagem contemporânea: cinema, TV, documentário, fotografia, videoarte, games… São Paulo: Hedra, 2009.
LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Ed. 34, 1999.
MACIEL, Kátia (org). Transcinemas. Rio de Janeiro: Contracapa, 2009.
PICON-VALLIN, Béatrice. La scène et les images. Le voile de la création théâtrale, vol.21. Paris: CNRS, 2001.
____. Le film de théâtre. Collection Arts du spectacle. Paris : CNRS Éditions, 2001.

TÓPICOS ESPECIAIS I

Ementa:
A noção de teatralidade textual em relação à performatividade e à representação contemporânea. Contextos sócio-culturais de criação do texto não-dramático. Transformações nos modos de representação na dramaturgia contemporânea. Aprofundamento de estudos através de propostas de criação e recepção de textos.

Bibliografia:
DERRIDA, Jacques. A escritura e a diferença. São Paulo: Perspectiva, 1971.
DOS SANTOS, R; REZENDE, R. No contemporâneo: arte e escritura expandidas. Rio de Janeiro: Editora Circuito/FAPERJ, 2011.
FÉRAL, Josette; SAVONA, Jeannette Laillou; WALKER, Edward A. (org). Théâtralité, écriture et mise-en-scène. Québec: Éditions Hurtubise HMH, 1985.
FUCHS, Elinor. The Death of Character. Perspectives on Theater after Modernism. Bloomington and Indianapolis: Indianápolis University Press, 1996.
GUÉNOUN, Denis. O teatro é necessário? São Paulo: Perspectiva, 2004.
LEHMANN, Hans-Thies. Teatro pós-dramático. São Paulo: Cosac Naify, 2007.
REWALD, Rubens. Caos/Dramaturgia. São Paulo: Perspectiva/FAPESP, 2005.
RYNGAERT, Jean-Pierre. Ler o teatro contemporâneo. São Paulo: Martins Fontes, 1998.
SANTAELLA, Lucia. Por que as comunicações e as artes estão convergindo? São Paulo: Ed. Paulus, 2005.
SARRAZAC, Jean-Pierre. O Futuro do Drama. Porto: Campo das Letras, 2002.
SZONDI, Peter. O teatro moderno. São Paulo: Cosac Naify, 2001.
UBERSFELD, Anne. Para ler o teatro.São Paulo: Perspectiva, 2005.

TÓPICOS ESPECIAIS II

Ementa:
Estudos do corpo – concepções, campos de ação e dramaturgias do corpo. O corpo do ator-compositor, do atuante, do performer e a análise de princípios, poéticas, metodologias e técnicas de criação da cena: a espacialidade, a dramaturgia, a temporalidade, as mediações. A disciplina funciona como um laboratório teórico-prático no qual serão investigadas, de acordo com a proposta docente, metodologias específicas que se articulam à dimensão artístico contemporânea.

Bibliografia:
ALEXANDER, Gerda. Eutonia: um caminho para percepção corporal. São Paulo: Martins Fontes, 1983.
AZEVEDO, Sônia Machado de. O papel do corpo no corpo do ator. São Paulo: Perspectiva, 2008.
BACHELARD, Gastón. A poética do espaço. São Paulo: Abril Cultural, 1984.
BANU, Georges. L’acteur qui ne revient pas. Paris: Éditions Aubier, 1986.
CORBIN, Alain; COURTINE, Jean-Jacques; VIGARELLO, Georges. História do corpo. Vol.3. As mutações do olhar. O século XX. Petrópolis/RJ: Vozes, 2008.
ENAUDEAU, Corinne. Le corps de l’absence. In: Brûler les planches, crever l’écran. La présence de l’acteur. Saint-Jean-de-Védas, L’Entretemps, 2001.
FOUCAULT, Michel. Microfísica do Poder. São Paulo, Editora Graal, 2004.
GIL, José. As Metamorfoses do Corpo. Lisboa, Relógio D’água, 1997.
GREINER, Christine. O corpo: pistas para estudos indisciplinares. São Paulo: Annablume, 2005.
HANSEN, Mark B. Bodies en Code: Interfaces with Digital Media. London: Routledge.
JONES, Amelia. Body art: performing the subject. Minneapolis and London: University of Minnesota Press, 1998)
LEPECKI, André. Exhausting Dance: performance and the politics of movement. London and New York: Routledge, 2006.
PLUTTA, Izabela. L’acteur et l’intermedialité. Les nouveaux enjeux pour l’interprète et la scène à l’ère technologique. Lausanne: L’Âge d’homme, 2011.
SCHECHNER, Richard. Performance. Expérimentation et théorie du théâtre aux USA. Montreuil-sous-Bois: Éditions théâtrales, 2008.

TÓPICOS ESPECIAIS III

Ementa:
Investigação prático-teórica das funções da autoria sobre a cena na contemporaneidade. O autor como articulador de múltiplos agenciamentos da obra de arte. Observação e experimentação de metodologias e técnicas de criação nos processos de composição da cena: espaços políticos de negociação de autorias.

Bibliografia:
AGAMBEN, Giorgio. “O que é um dispositivo?”. In: O que é o contemporâneo? e outros ensaios. Chapecó: Argos, 2009.
APPIA, Adolphe. “Conferência para Zurique”. In: SAADI, Fátima (ed.). Revista Folhetim n. 1. Rio de Janeiro: Teatro do Pequeno Gesto.
BENJAMIN, Walter. “O autor como produtor. Conferência pronunciada no Instituto para o Estudo do Fascismo”. In: Magia e técnica, arte e política: ensaios sobre literatura e história da cultura. São Paulo: Brasiliense, 1994. (Obras Escolhidas; v. 1).
DELEUZE, Gilles. “Um manifesto de menos”. In: Sobre o teatro. Rio de Janeiro: Jorge Zahar Ed., 2010.
DERRIDA, Jacques. Margens da filosofia. Campinas: Papirus, 1991.
FERNANDES, Silvia. Teatralidades contemporâneas. São Paulo: Editora Perspectiva, 2010.
FISCHER, Stela. Processo colaborativo e experiências de companhias teatrais brasileiras. São Paulo: Hucitec, 2010.
GUÉNOUN, Denis. A exibição das palavras. Uma idéia (política) do teatro. Rio de Janeiro: Teatro do Pequeno Gesto, 2003.
PICON-VALLIN, Beatrice. A arte do teatro entre tradição e vanguarda: Meyerhold e a cena contemporânea. Rio de Janeiro: Teatro do Pequeno Gesto: Letra e Imagem, 2006.
RANCIÈRE, Jacques. O mestre ignorante: cinco lições sobre a emancipação intelectual. Belo Horizonte: Autêntica, 2008.
_____. O espectador emancipado. Lisboa: Orfeu Negro, 2010.
TROTTA, Rosyane. Autoria Coletiva: processos de criação teatral. Programa de Pós-Graduação em Artes Cênicas (tese de doutorado). Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, UNIRIO, 2008.

TÓPICOS ESPECIAIS IV

Ementa:
A cena contemporânea face aos dispositivos tecnológicos. Relações entre cena, tecnologia e ciência. Redes de comunicação, interface, neurociência e suas inter-relações na produção do conhecimento e no aprofundamento das práticas artísticas. As tecnologias da cena e dispositivos na criação de imagens.

Bibliografia:
ALBERA, François; TORTAJADA, Maria. Cine-dispositifs. Spectacles, Cinéma, telévision, littérature. Lausanne: L’âge d’Homme, 2011.
BAUDRY, Jean Louis. L’Effet Cinéma. Paris: Albatros, 1978.
DIXON, Steve. Digital Performance: a history of new media in theater, dance, performance art and installation. MIT Press, 2007.
KATTENBELT, Chiel. “Theatre as the art of the performer and the stage of Intermediality”. In: Intermediality in theatre and performance. Amsterdam/NY, Rodopi, 2006.
ISAACSON, Marta; PEREIRA, Antonia; TORRES, Walter L. (Org). Cena, Corpo, Dramaturgia: entre tradição e contemporaneidade. Rio de Janeiro: Pão e Rosas, 2012.
LAUREL, Brenda. Computers as theatre. Massachussetts: Reading/Addison Wesley Publishing Company, 1993.
MACIEL, Kátia (org). Transcinemas. Rio de Janeiro: Contracapa, 2009.
PLUTA, Izabella. L’Acteur et l’Intermedialité. Lês nouveaux enjeux pour l’interprète et la scène à l’ère technologique. Lausanne: L’Âge d’Homme, 2011.

TÓPICOS ESPECIAIS V

Ementa:
Poéticas visuais da cena contemporânea. A representação visual e a análise de práticas sociais e discursivas. O hibridismo e a ruptura como intrínsecos a um novo regime do visível. Análise de diferentes regimes estéticos da cena contemporânea: o diálogo com a arte clássica e moderna.

Bibliografia:
AUMONT, Jacques. A imagem. Campinas, SP: Papirus, 1993.
BELOUR, Raymond. Entre-Imagens. Campinas: Papirus, 1997.
CRARY, Jonathan. Techniques of the Observer: On Vision and Modernity in the Nineteenth Century. Cambridge, MA: MIT Press, 1990.
DEBORD, Guy. Sociedade do espetáculo. Rio de Janeiro: Editora Contraponto, 2000.
DIDI-HUBERMAN, Georges. O que vemos o que nos olha. Rio de Janeiro: Ed. 34, 2010.
FLUSSER, Vilém. O universo das imagens técnicas: elogio da superficialidade. São Paulo: AnnaBlume, 2008.
PONTY, Merleau Maurice. O visível e o invisível. São Paulo: Perspectiva, 1971.
MITCHELL Picture Theory: Essays on Verbal and Visual Representation. Chicago: University of Chicago Press, 1994.
VIRILIO, Paul. A Máquina de visão. Rio de Janeiro: José Olympio, 1994.